Não é só a morte de uma juíza; contrapesos ao fascismo recuam nos EUA. Chomsky vê guerra civil

Noam Chomsky: “As pessoas já não acreditam nos fatos” - Cavalothetroia

Por: Carlos Eduardo Silveira 

1 – NOTÍCIAS INTERNACIONAIS SOBRE O BRASIL

PANTANAL. Incêndios em áreas úmidas brasileiras provocados por humanos e agravados pela seca. A nuvem de fuligem do incêndio dirige-se para São Paulo como quase um quinto do Pantanal destruído pelo fogo. Os incêndios que devastaram uma região de pântanos tropical brasileira famosa por sua vida selvagem foram iniciados por humanos e exacerbados por sua pior seca em quase 50 anos, de acordo com autoridades brasileiras, bombeiros e grupos ambientalistas. Imagens de cobras cremadas, antas cozidas até a morte e onças com patas queimadas e enfaixadas na região do Pantanal, no centro-oeste do Brasil, horrorizaram os brasileiros em uma época em que os incêndios também devastam as florestas na Amazônia. Uma nuvem negra de fuligem de incêndios se dirige para São Paulo. (The Guardian, Inglaterra; El Periódico, Espanha) |bit.ly/3cfocJu|bit.ly/3iZT8Qk

BOLSONARO. Para Jair Bolsonaro, respeitar o isolamento é para “os fracos”. Enquanto isso, o Brasil é o segundo país com mais mortes por Covid-19 no mundo. Com 135.000 mortes em seus ombros, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro minimizou mais uma vez a crise de saúde que está causando o vírus Covid-19 e garantiu que respeitar o isolamento social e preventivo “é para os fracos”. “O vírus, eu sempre disse, era uma realidade e tínhamos que enfrentá-lo, nada para nos encolhermos do que não podemos escapar”, disse o presidente de extrema direita. (Página 12, Argentina; La Vanguardia, Espanha; el Clarín, Argentina)) |bit.ly/35U5HcC|bit.ly/3cdKM5l|bit.ly/3kwHJrO

ACORDO EU/MERCOSUL. Incêndios no Pantanal, outra calamidade que ameaça o acordo UE-Mercosul. Os estragos causados pelos incêndios no Pantanal, onde as chamas já devastaram 22% do gigantesco pantanal brasileiro, colocaram mais uma vez em destaque o acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul, abalado pelas políticas ambientais do governo de Jair Bolsonaro. Os eventos geraram inquietação em relação às políticas ambientais do governo Bolsonaro, consideradas frouxas e benéficas para o agronegócio, algo pelo qual países europeus, centenas de organizações ambientais e até empresas brasileiras começaram a pressionar nesta semana.(La Vanguardia, Espanha; La; La Diária, Uruguai) |bit.ly/2FURLUq|bit.ly/3ced3J3

VACINA OXFORD. AstraZeneca, sob suspeitas pela segurança da vacina, lança planos de ensaio. Os especialistas estão preocupados com o fato de a empresa não ter sido mais aberta sobre dois participantes que ficaram gravemente doentes após receber sua vacina experimental. Os estudos foram retomados na Grã-Bretanha, Brasil, Índia e África do Sul, mas ainda estão em pausa nos EUA. Cerca de 18.000 pessoas em todo o mundo receberam a vacina da AstraZeneca até agora. (The New York Times, EUA) |nyti.ms/2EgmnPQ

PANTANAL Abandono do Pantanal e da Amazônia ameaça investimentos no Brasil. Oito países da UE alertam para a dificuldade de fazer negócios. Agroindustriais exigem ações contra o desmatamento na Amazônia. (El País, Espanha) |bit.ly/35Rnz7K

PANTANAL. Fumaça dos incêndios no Pantanal obriga avião de Bolsonaro a abortar aterragem. Bolsonaro encontrou-se com representantes da indústria agrícola e rejeitou as críticas à gestão ambiental do seu Governo. (Público, Portugal) |bit.ly/32O69H2

COVID-19. O Brasil confirmou 858 novos óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas, com os quais o número total de óbitos chegou a 135.793, enquanto o número de infectados já está próximo a 4,5 milhões, informou o Ministério da Saúde nesta sexta-feira. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado diariamente pela carteira, no mesmo período foram registradas 39.797 novas infecções, de forma que o número total de casos no país foi de 4.495.183. (La Vanguardia, Espanha) |bit.ly/3chPa3m

GOVERNO BOLSONARO. Suposto financiamento governamental de sites de extrema direita é investigado. A Polícia Federal teria indícios de que o Governo de Jair Bolsonaro financiou pessoas e páginas na Internet. A Polícia Federal brasileira está investigando supostos financiamentos que o governo Jair Bolsonaro teria feito para sites de extrema direita que promoveriam atos antidemocráticos E que promovem causas que ameaçam a independência do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. (El Espectador, Colômbia) |bit.ly/3mxdRgR

VENEZUELA. A Venezuela denuncia que o Brasil suspendeu as credenciais de seu pessoal diplomático. Pompeo reafirma no Brasil o apoio dos Estados Unidos aos migrantes venezuelanos. O chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, denunciou nesta sexta-feira que o Itamaraty suspendeu as credenciais de seu corpo diplomático, o que está vinculado à visita do secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo. para o país. (El Telégrafo, Equador; El Mercurio, Chile) |bit.ly/2RFAql8|bit.ly/2RJ7jNP

MAIA. A visita de Pompeo ataca a tradição da política externa brasileira. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta sexta-feira que a visita do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, “não coincide com as boas práticas diplomáticas internacionais e ataca as tradições de autonomia e altivez de nossa política externa e defesa”. (Últimas Notícias, Venezuela) |bit.ly/35U5Cpk

FLORDELIS. Dinheiro, sexo e religião por assassinato de família no Rio. A cantora Flordelis, também parlamentar, pastora e mãe adotiva de 50 filhos, é suspeita de ter organizado a morte de seu marido, Anderson. Família é “meu bem mais querido”, disse Flordelis dos Santos de Souza, 59. Agora, ela aparece em um papel mais sombrio. A de uma manipuladora acusada de planejar como família o assassinato de seu marido, Anderson de Carmo, de 42 anos, executado a tiros após várias tentativas de envenenamento por arsênico. Um total de sete membros do clã, além de um ex-policial e sua esposa, estão na prisão. Flordelis, como é simplesmente chamada no Brasil, deve sua liberdade apenas à sua imunidade parlamentar. (Le Figaro, França) |bit.ly/35Sf78j

2 – NOTÍCIAS DO MUNDO

INTERNACIONAL PROGRESSISTA. A primeira cúpula do ‘Progressive International’ começou na sexta-feira. Este movimento reúne inúmeras organizações políticas e sociais, e visa criar uma frente mundial para conter o avanço do autoritarismo. De sexta a domingo, acontecerá de forma virtual a primeira cúpula da organização denominada Internacional Progressista, cujo objetivo é “promover a união, coordenação e mobilização de ativistas, associações, sindicatos, movimentos sociais antes do avanço do autoritarismo ”. Originalmente, essa cúpula seria realizada pessoalmente em Reykjavik, capital da Islândia, mas, devido à pandemia de 19, foi organizada virtualmente. (La Diária, Uruguai) |bit.ly/32LQ5FL

LAWFARE: JULIAN ASSANGE. ‘Associados’ de Trump ofereceram perdão a Assange em troca da fonte de e-mails. No Tribunal, o fundador do WikiLeaks foi solicitado a revelar a fonte do vazamento que causou danos a Hillary Clinton, disse a audiência. Duas figuras políticas que alegam representar Donald Trump ofereceram a Julian Assange um acordo “ganha-ganha” para evitar a extradição para os EUA e a acusação, ouviu um tribunal de Londres. Segundo o acordo proposto, segundo a advogada de Assange, Jennifer Robinson, o fundador do WikiLeaks receberia um perdão se revelasse quem vazou e-mails do Partido Democrata para seu site, a fim de ajudar a esclarecer as alegações de que eles haviam sido fornecidos por hackers russos para ajudar na eleição de Trump em 2016. (The Guardian, Inglaterra) |bit.ly/3myWdtb

LAWFARE: AMÉRICA LATINA. Luis Arce e Andrés Arauz denunciaram manejo da lei na Bolívia e Equador. Candidatos presidenciais de esquerda refletem sobre o contexto latino-americano. As apresentações de ambos os candidatos abordaram os desafios que o progressismo enfrenta neste contexto urgente de crise democrática. Junto com eles estavam o ex-candidato a presidente da Colômbia, Gustavo Petro, e a ex-embaixadora argentina, Alicia Castro. (Página 12, Argentina) |bit.ly/32KMnMI

BOLÍVIA. O movimento de “indignados” que nos últimos meses saíram às ruas da Bolívia para resistir e denunciar as violações dos direitos do governo de facto de Jeanine Añez, fez uma campanha massiva na qual apelam ao voto contra a direita, Inspirado em um “hit” popularizado na cidade de Buenos Aires, durante as eleições de 2019, ao ritmo de “Añez já foi / Mesa já foi / se quiser, Camacho também”, canta a cumbia retirada do flashmob espontâneo que no ano passado soou e dançou em espaços públicos de Buenos Aires. (Página 12, Argentina) |bit.ly/2FNQIWt

BOLÍVIA. Evo após o anúncio de Áñez de não se candidatar às eleições: “É uma dupla traição a seus militantes e candidatos” O ex-presidente boliviano garantiu que a renúncia do interino “já estava decidida há muito tempo, a única coisa que resta a fazer é negociar sua impunidade”. (El Mercúrio, Chile) |bit.ly/35T8YZq

PERU. O presidente peruano, Martin Vizcarra, escapou do impeachment na sexta-feira (18 de setembro) depois que seus oponentes no parlamento não conseguiram reunir votos suficientes para derrubá-lo por “incapacidade moral”. Depois de dez horas de debate no parlamento unicameral do Peru, apenas 32 deputados votaram pelo impeachment, enquanto 78 votaram contra e 15 se abstiveram. Um mínimo de 87 votos de um total de 130 deputados. (Le Monde, França) |bit.ly/3ceAGRu

FOME. ONU: Fome no mundo atingiu o maior número de sempre. Os conflitos armados, alterações climáticas e a pandemia podem fazer a situação piorar ainda mais, diz o responsável pelo Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas. Só no Brasil há mais de dez milhões sem acesso regular a alimentação. Em todo o mundo, neste momento 138 mil pessoas rapadas pela fome. “Este é o maior número da nossa história”, explicou. Junto com esses números, 270 milhões de pessoas estão “cada vez mais perto” de situações de acolhimento. (Esquerda.net, Portugal) |bit.ly/3hNMprw

EUA. Republicanos entre a pressa e a contradição para nomear um novo juiz para Supremo dos EUA. Mitch McConnell, líder do Senado, quer aprovar o nome proposto por Trump antes da tomada de posse do novo Presidente, mas há senadores republicanos que temem o impacto dessa decisão nas suas eleições. (Público, Portugal) |bit.ly/3cdctv2

EUA. Morre Ruth Bader Ginsburg: uma nova frente na campanha norte-americana. A decana do Supremo Tribunal morreu aos 87 anos. Seu último desejo: que seu sucessor seja nomeado pelo presidente eleito em 3 de novembro. Os republicanos parecem querer aproveitar a oportunidade para derrubar permanentemente o mais alto órgão judicial dos Estados Unidos, procedendo à sua substituição o mais rápido possível. (L’Humanité, França) |bit.ly/3iOxTB1

ITÁLIA. A região de Florença, um bastião comunista e então democrático, pode cair nas mãos da extrema direita nas eleições parciais de domingo e segunda-feira. O partido de Salvini aposta na vitória com os jovens. O prefeito democrático de Florença evoca o cerco à cidade de 1529 liderado pelas tropas do Santo Império. Outras autoridades eleitas relembram os antigos confrontos entre as cidades toscanas e a cidade dominante dos Medici. De acordo com as últimas pesquisas, o bastião vermelho da Toscana, governado desde a guerra pela esquerda, pode de fato cair nas mãos da extrema direita de Matteo Salvini. (Libération, França) |bit.ly/3kzCd7G

TAILÂNDIA. Tailândia, milhares nas ruas contra o governo e a monarquia: “Um primeiro passo histórico para a democracia”. Os organizadores aguardam uma multidão de 50.000 pessoas prontas para marchar na primeira luz da madrugada de domingo em direção ao prédio do governo. Eles exigem a dissolução do parlamento, novas eleições, mudanças na Constituição, o fim da intimidação de ativistas políticos. Mas também a reforma da monarquia, considerada sagrada . (La Repubblica, Itália) |bit.ly/3iPFQpx

3 – ARTIGOS/ENTREVISTAS/REPORTAGENS

Eric Nepomuceno – Brasil (Página 12, Argentina) | “Brasil: modelo de destruição” |bit.ly/3cdczmo

Noam Chomsky– EUA (Página 12, Argentina) | “Há riscos iminentes de uma guerra civil nos Estados Unidos”. Fala no âmbito do encontro virtual da Internacional Progressista |bit.ly/3hNx4XZ

Naomi Klein ­– EUA (Página 12, Argentina) | “Lições da pandemia e da urgência de um plano de reparação do milhões de dólares”. Fala no âmbito do encontro virtual da Internacional Progressista |bit.ly/3kwGdG6

James Doward, reportagem – Extrema Direita (The Guardian, Inglaterra) | “A conspiração QAnon – Tudo começou nos Estados Unidos com reivindicações terríveis e um ódio ao “estado profundo”. Agora ele está crescendo no Reino Unido, resultando em protestos antivacinas e 5G, alimentados por desinformação online. Jamie Doward examina a ascensão de um movimento de culto de direita” |bit.ly/3iQTEQE

Arwa Mahdawi – EUA (The Guardian, Inglaterra) | “A comissão de Trump sobre 1776 é a prova de que os EUA estão numa espiral em direção ao fascismo. Trump está criando uma comissão para ensinar aos alunos ‘o milagre da história norte-americana’“. |bit.ly/32O6dqg

Alfredo Zaiat – Argentina (Página 12, Argentina) | “O dólar Macri: guerra financeira e política. O desastre financeiro de Macri à base das pressões por uma forte desvalorização” |bit.ly/3cdczTq

Mario Wainfeld – Argentina (Página 12, Argentina) | “Saúde, economia, educação diante da crise. Vencedores e perdedores da nova anormalidade” |bit.ly/33Ht4U0

Vladimir Cares – Economia (Página 12, Argentina) | “O falso postulado de igualdade entre salários e produtividade do trabalho. Baixa sindicalização e hegemonia do pensamento neoliberal” |bit.ly/3iNo4U3

Manuel Castells, entrevista – Espanha (El Diário, Espanha) | “A direita perdeu um poder que sempre acreditou ser seu e não o recuperará por muito tempo” |bit.ly/2ZUon7Z

Democracy Now, editorial – Julian Assange (Democracy Now, EUA) | “Julian Assange e a liberdade de imprensa, em julgamento em Londres” |bit.ly/3cgXnod

Adriana Guzmán – Bolívia (Jacobin, EUA) | “Um golpe contra o povo” |bit.ly/32NnX5b